Bolsonaro é vaiado e chamado de genocida e ladrão em Aparecida -Thumb/DCM

Bolsonaro é o assunto. AO VIVO. Kiko Nogueira analisa as últimas notícias e conversa com o cientista político Rudá Ricci.

Bolsonaro é vaiado em Aparecida

Nesta terça-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) chegou ao Santuário Nacional de Aparecida para missa dedicada à Nossa Senhora Aparecida.

Presidente foi alvo de protestos na chegada e na saída do santuário. Acompanhado de seus seguranças e do ministro, o “astronauta” Marcos Pontes, Bolsonaro andou por alguns metros e depois subiu na porta do carro oficial.

Manifestantes gritaram palavras como “lixo”, “Lula” e chamaram Bolsonaro de ladrão e genocida. Também houve manifestações de apoio ao presidente.

Usando máscara de proteção contra o coronavírus, ele acenou para os apoiadores e causou aglomeração em frente à Catedral. Esta é a terceira vez que Bolsonaro visita a cidade de Aparecida durante o seu mandato.

Mais cedo, o arcebispo dom Orlando Brandes criticou o governo, dizendo que para ser “pátria amada não pode ser pátria armada”. Em seu sermão, o arcebispo de Aparecida criticou indiretamente o governo ao criticar fake news e o discurso de ódio.

Apesar das críticas, em entrevista coletiva, o arcebispo de Aparecida ainda declarou que o presidente poderá acompanhar a missa mesmo que esteja sem máscara.

“Vai poder assistir, sim. O Santuário está observando todas as normas sanitárias. Vamos respeitar a opinião dele e não estragar uma celebração como ocorreu em tantos outros lugares, como na ONU”, disse Brandes.

Confira a live abaixo: