Repetindo movimentos grevistas realizados em outros estados, no Paraná esposas de PMs da ativa e da reserva podem bloquear quartéis, impedindo a entrada e saída de policiais para atenderem ocorrências a partir do próximo dia 25, data da greve dos servidores públicos do Paraná.

O alerta foi feito pelo deputado estadual Requião Filho (PMDB). Segundo ele, essa estratégia conta com o apoio das entidades que representam os policiais, como a Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas (AMAI), e da Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Estado do Paraná (Assofepar).

Na semana passada sete entidades de policiais divulgaram nota afirmando que “o descaso com a categoria é algo inaceitável, principalmente com o atraso no pagamento da data-base”.

Requião Filho disse que “Não é mais hora de diálogo. É hora de sim ou não”, referindo-se ao não cumprimento das promessas de campanha do governador Ratinho Junior.