Prefeito Rafael Greca recebe as escolas campeãs do carnaval curitibano, orgãos de segurança, limpeza pública e servidores que ajudaram realizar o carnaval. Foto:Cesar Brustolin/SMCS

A Prefeitura vai abrir o mais cedo possível, no segundo semestre, o edital para as escolas de samba de Curitiba buscarem patrocínio privado e terem mais recursos para fazer bonito no carnaval de 2020. A informação foi dada pelo prefeito Rafael Greca, nesta quarta-feira, aos representantes dos grupos e escolas campeãs do carnaval deste ano.

O Salão Brasil da Prefeitura ficou animado com a presença de parte da bateria da escola Embaixadores da Alegria (que subiu do Grupo de Acesso para o Grupo Especial), passistas mirins da Mocidade Azul (campeã do Carnaval 2019) e casais de mestre-sala e porta-bandeira das duas agremiações e também da Internautas.

“Tem gente, nas redes sociais, reprovando o nosso carnaval. Pois eu digo que um evento cultural de sucesso como este, com esta envergadura, sem incidentes de segurança e com a cidade limpa, custou R$ 1,4 milhão à Prefeitura. Isso é duas mil vezes menos que o nosso investimento em Saúde, 1.500 vezes menos que o destinado à Educação e o equivalente a meio quilômetro de rua asfaltada”, comparou o prefeito.

Greca também observou que o investimento implica em crescimento do turismo, com mais visitantes lotando hotéis e restaurantes da cidade, além de geração de renda para a economia criativa. “Imagine com mais dinheiro, que pode vir da iniciativa privada, que espetáculo não vai ficar?”, completou.

A propósito das críticas, Greca disse ter amanhecido lendo o filósofo alemão Friedrich Nietzsche. “Ele disse que os que dançavam eram tidos por loucos pelos que não conseguiam ouvir música. Isso pode se aplicar à incapacidade de alguns para entender a nossa cultura popular do samba, que brota dos instrumentos e da alma do povo”, declarou.

Carnaval seguro e tranquilo

Os dias de folia em Curitiba foram tranquilos, seguros e voltados às famílias. Isso foi possível devido ao efetivo da Polícia Militar, que atuou integrada com a Guarda Municipal, em operação coordenada pelo coronel Hudson Leôncio Teixeira, do 1º Comando Regional da PM.

“A polícia foi impecável na garantia de que o povo brincasse, com tranquilidade e segurança. Foi um carnaval pacífico, orgulho de Curitiba”, disse Greca.

Trabalho de equipe

Receberam o agradecimento do prefeito, Édson do Parolin, representante da escola de samba Mocidade Azul; Haroldo Ribeiro, da Internautas; Ana Carolina Bittencourt, da Embaixadores da Alegria; e Paulo Scheunemann, da Acadêmicos da Realeza.

Pela marcha dos zumbis (Zombie Walk), estavam Paulo Biscaia, Docca Soares e Flávia Nogueira.

Greca também destacou o empenho dos representantes dos segmentos que não desfilaram na Marechal Deodoro, mas colaboraram para o sucesso do evento. Entre eles estavam a presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Ana Cristina de Castro; o diretor da Guarda Municipal, Odegar Nunes Cardoso; o representante da empresa de limpeza pública Cavo, João Paulo Miranda; o presidente da Comissão de Carnaval da FCC, Jaciel Teixeira; o presidente do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Matschinske; e a procuradora-geral do município, Vanessa Volpi.

O prefeito também agradeceu às equipes da Fundação de Ação Social (FAS), que ajudaram a fazer o carnaval da terceira idade com o bloco Rancho das Flores e se preocuparam com a segurança das crianças no evento, à Secretaria de Urbanismo e à Superintendência de Trânsito (Setran).