A possibilidade de uma intervenção direta do Brasil nos assuntos internos da Venezuela aumentou nesta quinta-feira (17), depois de uma sequência de reuniões em Brasília entre o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, representantes da oposição venezuelana, dos Estados Unidos e da Organização dos Estados Americanos; a nota do Itamaraty faz uma escalada verbal, de acordo com opinião do embaixador Rubens Barbosa

Brasil 247 – A nota publicada pelo Ministério das Relações Exteriores nesta quinta-feira (17), afirmando que o governo venezuelano “chefiado por Nicolás Maduro constitui um mecanismo de crime organizado” – e ainda que “está baseado na corrupção generalizada, no narcotráfico, no tráfico de pessoas, na lavagem de dinheiro e no terrorismo” –, na opinião do embaixador Rubens Barbosa, aponta uma escalada verbal do governo brasileiro, que está em linha com os países membros do Grupo de Lima.

“Não há novidade, o que houve é uma escalada retórica. Significa que o Brasil está participando ativamente da pressão internacional em relação à Venezuela. Há grande preocupação internacional com a democracia, com os refugiados”, ressaltou, acrescentando que é preciso aguardar para saber qual posição o Brasil tomará daqui em diante em relação à Venezuela, como se adotará sanções.

Leia reportagem no Valor Econômico