Miguel do Rosário

Enquanto a população se distrai com os jogos da Copa do Mundo, os deputados estão acelerando votações de projetos de cunho fortemente privatista e conservador. Hoje foi aprovado urgência de projeto que viabiliza a privatização do sistema nacional de energia elétrica. Nesta quarta-feira, será discutido a lei da mordaça para professores, também conhecido como “Escola sem Partido”.

A grande imprensa, aliada a setores da burocracia, continuam dando apoio ao entreguismo da direita parlamentar, seja através da omissão das notícias, quando conveniente, seja através do contínuo sufocamento político e judicial da oposição.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 226 votos a 48 e 6 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 10332/18, do Poder Executivo, que viabiliza a privatização de distribuidoras de energia elétrica sob controle da Eletrobras.

Para aprovar o regime de urgência com base no artigo 154 do regimento é necessário apenas maioria simples de votos, diferentemente da urgência para a qual não há limites de requerimentos aprovados, cujo quórum de apoio depende de 257 votos favoráveis.

A sessão da Câmara dos Deputados foi encerrada. Em seguida, haverá sessão do Congresso Nacional.