Prefeito Rafael Greca, acompanhado da presidente da Fundação Cultural, Ana Cristina de Castro, recebe a diretoria do IBQP que irá doar uma escultura de Manabu Mabe para a Prefeitura. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Uma escultura de Manabu Mabe pertencente ao Instituto Brasileiro de Pesquisa e Qualidade (IBPQ) será doada ao município e deve ser instalada na Praça do Japão. A intenção foi reafirmada em reunião do prefeito Rafael Greca, o diretor presidente do IBQP, Anderson Luz, e integrantes do conselho, nesta terça-feira.

“Eu agradeço que o IBQP queira compartilhar com a cidade, e principalmente com comunidade japonesa essa maravilhosa obra de arte. É mais um presente para nossa amada Curitiba. É o i de inovação, no centro do monumento, que representa a união do Brasil e o Japão e nos coloca dentro do mundo”, afirmou o prefeito Rafael Greca.

Escultura está há 25 anos no instituto e ganhará mais visibilidade com o fácil acesso da população à praça, além de reforçar a parceria entre a Prefeitura e o IBQP.

“É uma relação muito importante e deve ser potencializada e construída. A obra é uma simbologia também desta proximidade, dessa relação fluida e transparente, no sentido da promoção da inovação entre nós e a Prefeitura”, disse Sandro Nelson Vieira, presidente do conselho do Instituto.

A obra

A escultura em granito, com cerca de dois metros de altura, foi cedida ao instituto em 1995, ano em que se comemorava o centenário da amizade Brasil e Japão.

Em seu formato dois círculos representam a bandeira dos países, e logo abaixo o mar que divide as regiões. No outro lado, a vogal I simboliza a inovação que é transmitida durante a relação.

Atualmente, a obra se encontra na sede do IBPQ, na Avenida Doutor Dario Lopes dos Santos, 2.251. “Essa obra chegou para nós porque somos pioneiros em expertise japonesa. No ano em que a ganhamos, o instituto trouxe essa base japonesa para aplicar em chão de fábrica no Brasil, na área de produtividade e qualidade”, explicou Anderson Luz, diretor presidente do IBQP.

Próximos passos

Os trâmites para a doação oficial ao município devem ocorrer nos próximos 30 dias. Nesse período, o projeto de implantação será realizado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e a Fundação Cultural de Curitiba fará um levantamento histórico da obra e do artista.

“Dada a relevância da obra, acreditamos que a sua transferência para um espaço público de grande visibilidade permitirá o acesso a população, dando à memória do artista o merecido destaque”, afirmou Ana Cristina de Castro, presidente da FCC.

Também participaram Guilherme Klock, do Ippuc; os membros do conselho do IBQP, Rodrigo Martins, Vamberto Santana e Eduardo Aichinger; a procuradora-geral, Vanessa Volpi; o presidente do Ippuc, Luiz Fernando Jamur; e o secretário municipal interino do Meio Ambiente, Reinaldo Pilotto.

Manabu Mabe

O artista nascido em 1924, no Japão, foi pintor, gravador e ilustrador. Emigrou com a família para o Brasil em 1934, para dedicar-se ao trabalho na lavoura de café em São Paulo.

Em 1957 vendeu o cafezal para dedicar-se exclusivamente à pintura. No ano seguinte, recebeu o Prêmio Leirner de Arte Contemporânea. Conquistou também o prêmio de melhor pintor nacional na 5ª Bienal Internacional de São Paulo e prêmio de pintura na 1ª Bienal de Paris.

Nos anos 1980 pintou um painel para a Pan American Union em Washington, Estados Unidos; ilustrou O Livro de Hai-Kais, tradução de Olga Salvary e edição de Massao Ohno e Roswitha Kempf; e elaborou a cortina de fundo do Teatro Provincial, em Kumamoto, Japão.