Segundo a Polícia Federal, o coronel da reserva do Exército Carlos Alves, que divulgou vídeo com ofensas e ameaça à presidente do TSE, Rosa Weber, e aos ministros do STF, usará tornozeleiras eletrônicas após decisão judicial; “O juízo determinou o monitoramento eletrônico do investigado, a proibição de andar armado e possuir arma em casa, o impedimento de deslocar-se à cidade de Brasília, bem como a obrigação de se manter a pelo menos de 5 km de distância de todos os Ministros do STF, do TSE e do Ministro da Segurança Pública”, informou a PF

Brasil 247 O coronel da reserva do Exército Carlos Alves, que divulgou vídeo com ofensas e ameaça à presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber, e aos ministros do Supremo Tribunal Federal, usará tornozeleiras eletrônicas após decisão judicial.

“O juízo determinou o monitoramento eletrônico do investigado, a proibição de andar armado e possuir arma em casa, o impedimento de deslocar-se à cidade de Brasília, bem como a obrigação de se manter a pelo menos de 5 km de distância de todos os Ministros do STF, do TSE e do Ministro de Estado da Segurança Pública”, informou a PF em nota.

A pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), a PF abriu um inquérito para investigar o coronel e o ouviu nesta sexta-feira. “Se aceitarem essa denúncia ridícula e derrubarem Bolsonaro por crime eleitoral, nós vamos aí derrubar vocês aí, sim”, diz o coronel no vídeo (leia mais).