Em uma decisão inédita na história do Paraná, a governadora Cida Borghetti acabou com uma das maiores distorções do funcionalismo público: o aumento salarial diferenciado entre os poderes. 

Embora os outros poderes sejam autônomos na gestão dos seus orçamentos, os recursos têm uma única origem, o caixa do Estado, que é mantido pelos impostos de todos os paranaenses.

Ao vetar corajosamente o reajuste de 2,76 % para os funcionários do TJ, ALEP, MP e Defensoria, Cida Borghetti mostra ao Paraná que todos são iguais e devem receber o mesmo tratamento.

“Não é justo que os servidores dos outros poderes tenham um aumento diferenciado daquele que é possível pagar ao funcionalismo do Executivo, que é 1 %”, afirma a governadora.

Cida enviou ofício aos presidentes dos outros poderes para que acompanhassem o Executivo e encaminhassem a proposta de 1 % de recomposição para a Assembleia Legislativa.

“Não permitirei que o Paraná repita os erros de outros Estados que concederam aumentos além do possível e tiveram que parcelar salários e congelar investimentos”.