Artigo do Velho Antero

 

Sou conhecido no bairro Água Verde, na parte baixa, como frequentador assíduo de bordéis e locais suspeitos, mas confesso que em toda minha vida – e olha que sou velho pra caralho – nunca vi um puteiro tão desorganizado como esse chamado Brasília.

 

Gravaram o Temer autorizando a compra do silêncio do Eduardo Cunha. Filmaram o deputado paranaense Rodrigo Rocha Loures carregando malas de dinheiro de propina. Por que será que nada disso me surpreende? Não é novidade. Desde de que D. Pedro mandava no país a realidade é de corrupção desenfreada em todas as áreas e setores do gigante adormecido.

Quem se surpreende com a Polícia Federal invadindo gabinetes de deputados e senadores em Brasília é tão ingênuo quanto aquele meu amigo que acredita em prostituta virgem. Casou com uma. Agora sou frequentador assíduo da casa dele. A ingenuidade é uma benção.

 

Um mega empresário decidiu abrir o bico. Quantos mais farão as mesmas delações? Quantas dezenas ou centenas de empresários e industriais estão sendo chantageados neste momento por autoridades eleitas pelo voto democrático e soberano do povo honrado e trabalhador – ou safado e traidor – desse imenso e adorado Brasil?

 

Estive em Brasília algumas vezes. Conheço aquele restaurante ao lado da torre onde os políticos do interior são apresentados a prostitutas contratadas por deputados e senadores para apresentar aos interioranos o que a capital da República tem de melhor.

 

O empresário brasileiro é um herói. Paga os impostos mais altos do mundo. É chantageado por leis draconianas que criminalizam aqueles que trabalham e geram empregos. A República Sindicalista do Brasil é uma vergonha. Os sindicalistas do PT afundaram o país e a direita é incompetente para mudar este deplorável estado de coisas. E corruptos são – não todos – mas, pelo menos, a maioria.

 

Felizmente estou velho, a poucos anos de sentar no colo do capeta. Serei poupado de continuar assistindo esses espetáculos bizarros que Brasília produz todos os dias.

 

E meu voto para as próximas eleições eu declaro agora: voto em quem criar uma lei para baixar o preço do viagra.