A afirmação foi feita pela governadora em exercício Cida Borghetti, durante a 20ª Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, em Curitiba. A presença de empresas japonesas no Paraná mais que dobrou desde 2011. O encontro é promovido pela CNI e Fiep.

O bom ambiente de negócios proporcionado pelo diálogo entre o Governo do Estado e os empreendedores, a segurança jurídica, e o programa de incentivos Paraná Competitivo contribuem para o aumento dos investimentos de empresas japonesas no Paraná, segundo a governadora em exercício Cida Borghetti. “O Estado alterou para melhor o perfil de sua economia e trouxe indústrias do país asiático para cá”, afirmou Cida, na abertura da 20ª Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, nesta segunda-feira (28), em Curitiba. “Paraná e Japão têm laços profundos e centenários, caracterizados pela contribuição das famílias de imigrantes e de seus descendentes ao desenvolvimento econômico e social do nosso Estado”, disse ela.

O encontro é organizado pela Confederação Nacional de Indústria (CNI) e a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), em parceria com a sua congênere japonesa a Keidanren. O evento acontece na sede da Fipe na Avenida Comendador Franco e reúne cerca de 300 lideranças empresariais dos dois países. Ele buscam definir estratégias para o fortalecimento do comércio e a atração de investimentos entre as duas nações.

AMPLIAR – Para o presidente da Fiep, Edson Campagnolo, o Paraná já tem uma boa relação com o Japão, mas pode estreitá-la ainda mais. “Ano passado, o Japão foi o nono principal destino das nossas exportações e o fluxo de comércio com a nação oriental totalizou quase US$ 500 milhões. Temos condições de ampliar ainda mais essas oportunidades com eventos como o de hoje”, disse ele.

INTERESSE – Para o embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, o Paraná é importante não só na esfera política, mas também na econômica. “Por isso, temos interesse em vários setores do Estado, como infraestrutura, agricultura e automobilismo”, explicou. De acordo com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Japão, a presença de empresas japonesas no Paraná mais que dobrou desde 2011.

Governadora em exercício, Cida Borghetti, durante a abertura da 20ª Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, nesta segunda-feira (28), em Curitiba. Foto: Orlando Kissner/ANPr

A governadora em exercício citou como exemplo a Sumitomo Rubber do Brasil. “É uma empresa japonesa que confiou em nosso governo e com o apoio do programa Paraná Competitivo se instalou em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba”, lembrou.

BRASIL – Para o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, todo o Brasil tem se beneficiado com a parceria com o Japão. “Importantes avanços foram alcançados entre as duas nações, em especial os acordos que aperfeiçoaram as relações empresariais buscando facilitar o comércio, os investimentos e a inovação”, disse ele. “Agora, temos oportunidade de avançar ainda mais nas relações bilaterais.”

PARCERIAS – A 20ª edição da reunião conjunta segue até a terça-feira (29), com uma agenda extensa de debates para estimular o comércio e investimento bilateral. No evento são analisados os cenários econômicos de Brasil e Japão, possíveis medidas de melhora do ambiente de negócios e oportunidades nos setores de infraestrutura, energia e agronegócio.

PRESENÇAS – Participaram da abertura do evento os secretários de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, e do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti; o ministro da Saúde, Ricardo Barros; o ministro substituto da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima; o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Neto; o diretor administrativo da agência paranaense do BRDE, Orlando Pessuti; o presidente do Comitê de Cooperação Econômica Japão-Brasil, seção Brasileira, Fábio Schvartsman, e o presidente do Comitê de Cooperação Econômica Japão-Brasil, seção Japonesa, Masami Iijima, os deputados federais Alex Canziani, Sérgio Souza e Luiz Nishimori.

 

Agência de Notícias do Paraná