Nesta quinta-feira (25/7), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba promove uma ação com testes de hepatite B e C (os dois tipos da doença mais prevalentes no país), na Boca Maldita, das 8h às 14h. Pacientes com resultado positivo serão encaminhados para a realização de exame de carga viral e, em seguida, o tratamento será oferecido nas unidades de saúde.

O evento, realizado em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), Sesc e Instituto para Cuidado do Fígado (ICF), acontece em alusão ao Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais (28/7) e, consequentemente, ao Julho Amarelo, mês de combate às doenças do fígado.

De acordo com o diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, a hepatite é uma doença silenciosa. Segundo ele, como a maior parte dos casos, o paciente não apresenta sintomas, é comum que ela seja descoberta apenas numa fase já crônica.

“A doença pode evoluir durante décadas sem que haja suspeita. Por isso, a importância da testagem”, diz.

Se não houver tratamento, a hepatite C, por exemplo, considerada a mais letal, evolui para fase crônica em 60% a 85% dos casos e, em média, 20% evolui para cirrose ao longo do tempo.  Estudos mostram que, uma vez estabelecida a cirrose hepática, o paciente tem risco anual para surgimento de câncer de fígado de 1% a 5%.

Proteção

As unidades de saúde de Curitiba oferecem vacinas para hepatite A e hepatite B, conforme o calendário de vacinação do Ministério da Saúde. Não existe no mundo ainda, porém, uma vacina que proteja contra a hepatite C.
Para evitar a hepatite A, orienta-se, ainda, a manter bons hábitos de higiene, evitando alimentos crus e bebendo somente água potável. Já para evitar a hepatite B e C, deve-se usar preservativo nas relações sexuais, exigir materiais descartáveis e/ou esterilizado em procedimentos com materiais cortantes ou em que haja contato com sangue.

Serviço:

Julho Amarelo – Testagem de Hepatite B e C na Boca Maldita 
Dia: 25/7 (quinta-feira)
Local: Boca Maldita
Horário: das 8h às 14h

Hepatites virais mais comuns no Brasil 

Sintomas: a hepatite é uma inflamação no fígado. A doença é silenciosa e nem sempre apresenta sintomas, mas quando estes aparecem, podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Hepatite A
Vacina: Disponível nas unidades de saúde. De acordo com o calendário nacional de vacinação, é oferecida uma dose entre 15 meses e 4 anos de idade.
Transmissão:  A transmissão mais comum desse tipo da doença é pela água e alimentos contaminados.
Como evitar: Além de tomar a vacina, ter bons hábitos de higiene, evitando alimentos crus e bebendo somente água potável.
Tratamento: disponível nas unidades de saúde

Hepatite B
Vacina: Disponível nas unidades de saúde. De acordo com o calendário nacional de vacinação, deve-se tomar três doses na vida.
Transmissão: Transmitida pelo contato com sangue contaminado, sexo desprotegido, compartilhamento de objetos cortantes e de uso pessoal. Pode também ser transmitida de mãe para filho.
Como evitar: Além de tomar a vacina, usar preservativo nas relações sexuais, exigir materiais descartáveis e/ou esterilizado em procedimentos com materiais cortantes ou em que haja contato com sangue.
Tratamento: disponível nas unidades de saúde

Hepatite C
Vacina: Não há vacina disponível do mundo.
Transmissão: A doença é transmitida por sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes.
Como evitar:  Usar preservativo nas relações sexuais, exigir materiais descartáveis e/ou esterilizado em procedimentos com materiais cortantes ou em que haja contato com sangue.
Tratamento: disponível nas unidades de saúde.