Ex-diretor geral da Assembleia Legislativa do Paraná é preso em operação do Gaeco

O ex-diretor geral da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Abib Miguel, conhecido como “Bibinho”, foi preso nesta sexta-feira, 17 de novembro, em operação do núcleo de Curitiba do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. Segundo a liminar expedida pela 4ª Vara Criminal de Curitiba, Bibinho deverá ser recolhido ao Complexo Médico-Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

A prisão está relacionada a fatos da Operação Castor, deflagrada nesta semana pelo MPPR. O trabalho de investigação é um desdobramento da Operação Argonautas e apura a extração ilegal de madeira em imóveis pertencentes ao ex-diretor, localizados no município de Rio Azul, que estão sob sequestro judicial por ordem da 4ª Vara Criminal de Curitiba.

Condenação – Ainda sobre o ex-diretor geral da Alep, na quinta-feira, 16 de novembro, a 9ª Vara Criminal de Curitiba proferiu sentença condenatória contra Bibinho. Ele foi condenado a 23 anos, 3 meses e 29 dias de reclusão pelos crimes de peculato (apropriação de dinheiro público), formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. A sentença refere-se ao caso que ficou conhecido como “Diários Secretos”, pelo qual o MPPR denunciou o ex-diretor por comandar uma quadrilha que desviou pelo menos R$ 200 milhões dos cofres da Assembleia. Cabe recurso à sentença.

 

Nota da redação: O ex-todo poderoso da Assembleia Legislativa do Paraná, Bibinho, está se dando mal, ainda que continue se pavoneando para os amigos dizendo que “é honrado porque não entregou ninguém” no esquema de roubalheira na Assembleia Legislativa de algumas decadas atrás.