No sábado (24) o companheiro Ênio Pasqualin, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra do Paraná (MST-PR), foi executado a tiros em Rio Bonito do Iguaçu, na região sudoeste do Estado. Retirado de sua casa por sequestradores, seu corpo foi encontrado somente na manhã de domingo (25).

Ênio dedicou sua vida à luta pelo direito à terra, à reforma agrária e à agricultura familiar. Deixa esposa, filhos e o retrato de um País que volta aos tempos mais sombrios, de execuções de trabalhadores.

A CUT Paraná se solidariza com a família, amigos e companheiros diante desta perda irreparável. Mas, ao mesmo tempo, soma-se nas vozes que clamam por justiça e uma investigação série e célere, que aponte para os responsáveis por este crime brutal.

A impunidade dos assassinos de Ênio será um crime com toda a sociedade do Paraná.

Companheiro Ênio, presente!

CUT