Mesmo não atendendo aos critérios previstos na legislação estadual, a concessão de título de Cidadão Honorário do Paraná ao empresário catarinense Luciano Hang foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 11. Foram dois votos contrários, Tadeu Veneri (PT) e Tião Medeiros (PTB), três abstenções e seis votos favoráveis.

O projeto, apresentada por Cobra Repórter (PSD), será votado terá que ser votado em plenário numa próxima etapa. Autor de voto em separado contrário à proposta de homenagem, o deputado Tadeu Veneri apontou que o empresário não se enquadra na lei 3.115/2001, que regulamenta o tema. Controlador da cadeia de lojas Havan, Hang não desenvolve qualquer atividade filantrópica no Paraná e, principalmente, não respeita às instituições democráticas, disse Veneri.

Todas estas credencias para se habilitar ao título estão estabelecidas na lei estadual, destacou Veneri. De acordo com o deputado, o empresário também não comprova que contribui com as ciências, letras, artes ou cultura em geral. “O homenageado já declarou que as universidades brasileiras estão repletas de vagabundos e também disse que a democracia atrapalha. Não vejo como a aprovação deste título possa estar de acordo com a lei”, comentou Veneri.

Deputados da CCJ que votaram favoravelmente à homenagem justificaram que há uma “tradição” na Assembleia Legislativa de aprovar títulos de Cidadão Honorário sem que todos os critérios sejam preenchidos. Alguns citaram que não seria justo que o empresário fosse o primeiro a ser submetido à uma análise mais pormenorizada.