O juiz Sergio Moro ainda não respondeu sobre o fato do candidato Álvaro Dias transformá-lo em cabo eleitoral, ao dizer que, na hipótese de ser eleito, convidá-lo para ser ministro da Educação. Ontem, Álvaro Dias o citou logo na abertura do programa e, depois, fez questão de dizer que Moro o conhece.

Conforme registra o Huffpost, na saída do debate, o senador disse a jornalistas que ainda não falou com Moro sobre o convite para o Ministério da Justiça em um eventual governo. “O que eu disse é que ele só tem que responder quando eu chegar à Presidência”, afirmou.

Os repórteres, então, insistiram para que Dias respondesse se foi combinado com Moro que o nome dele seria explorado na campanha. “Esse é um problema nosso. Se eu tivesse falado, também não diria [para a imprensa]. Não falei com ele, mas, se tivesse falado, não diria.”

Por fim, Dias foi indagado se a estratégia não causa constrangimento a Moro. “Tenho certeza que não. Ele me conhece.”

E conhece mesmo. O elo entre eles é Joel Malucelli, investigado na Lava Jato, segundo o Ministério Público Federal, pagar propina para participar de obra pública.

Joel Malucelli é suplente de senador de Álvaro Dias, presidente estadual do Podemos no Paraná. Foi ele quem levou o cantor Fagner a Curitiba, em 2016, oportunidade em que os dois se encontraram para beber cerveja no bar do irmão de Carlos Zucolotto Júnior, aquele que, segundo Tacla Durán, pediu 5 milhões de dólares por fora para conseguir facilidades em acordo de delação premiada.

São da mesma patota ou panela.

DCM