Curitiba foi selecionada pela Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) para o Programa de Cooperação Cidades Inteligentes, nas áreas de Mobilidade Elétrica e Conectada, Plataforma de Gestão Urbana Centralizada e Big Data, com financiamento a fundo perdido estimado em € 305 mil (cerca de R$ 1,34 milhão). A participação da cidade foi oficializada ao prefeito Rafael Greca no dia 10 de abril, por documento assinado pelo diretor regional da AFD Brasil Cone Sul, Philippe Orliange.

A missão de lançamento do programa no Brasil será na próxima terça-feira (23/4), no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), com o início de oficinas de trabalho que seguirão até quarta (24/4). A cooperação abrange as temáticas de convergência digital nas áreas de governança, mobilidade inteligente e soluções de análise e interpretação de dados. Os recursos são do Fundo de Expertise e Intercâmbio de Experiências (FEXTE), da AFD.

Na manhã desta terça-feira (16/4) foi realizada, no Ippuc, uma reunião preparatória por videoconferência, em ligação Curitiba-Brasília-Paris, de representantes da Prefeitura de Curitiba com integrantes da Agência Francesa de Desenvolvimento e da empresa Egis, consórcio de consultores contratado pela AFD para desenvolver a cooperação.

De Brasília, o gerente de projetos da Agência Francesa para o Brasil, Rogério de Paula Barbosa, destacou a importância de mais esta parceria com Curitiba. Ele também acompanha a finalização do Programa de Recuperação Ambiental e Ampliação da Capacidade da Rede Integrada de Transporte do Município de Curitiba, desenvolvido com recursos da instituição em parceria com o município, e o andamento do projeto do Bairro Novo da Caximba, um dos pontos de interesse de financiamento pela AFD.

Na reunião desta terça foram alinhadas a agenda do evento de lançamento e a formatação das oficinas que contarão com a participação de técnicos do município e da agência.

Participaram da videoconferência, por parte da Prefeitura, Ana Cristina Wolmann Jayme e Teresa Fernandes, da Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Orçamento; Aldemar Martins Neto e Ismael França, da Urbs; Alessandra Reis, da Agência Curitiba; e Guacira Civolani e Maria Luiza Arazaki, do Ippuc.

Componentes do programa

Cada componente do programa tem um investimento estimado, objeto e tempo de desenvolvimento. Na capacitação no campo da Mobilidade Elétrica e Conectada estão previstos investimentos € 135 mil (cerca de R$ 592 mil) em estudos que visam à migração do atual sistema de transporte para um modelo de propulsão com energias limpas e gestão da operação moderna com o uso de aplicativos e o aprimoramento do gerenciamento dos dados. O prazo de execução é de 160 dias, envolvendo a realização de oficinas, estudos de viabilidade, seminários e visitas técnicas.

Para a plataforma de Gestão Urbana os investimentos giram em torno de € 100 mil (cerca de R$ 439 mil) para um treinamento com prazo estimado de 115 dias. O escopo do projeto está na modernização dos Centros de Comando e Operação com a implantação de plataformas de gerenciamento multi-especialidades, possibilitando a integração dos dados e a interoperabilidade dos serviços.

Em Big Data a capacitação visa a proporcionar ao município o avanço nas estratégias de smart city com vistas ao estudo e entendimento dos dados disponíveis e a sua aplicação no aprimoramento da gestão dos serviços públicos. O investimento previsto para este campo é de € 70 mil (cerca de R$ 307 mil) com tempo de finalização de oficinas previsto em 55 dias.