Frio leva 459 pessoas em situação de rua a dormir nos abrigos da Prefeitura. Foto: Ricardo Marajó/FAS

Com a continuidade do frio do último fim de semana, 459 pessoas usaram os abrigos do município desde a noite desta segunda-feira (8/7) até a manhã desta terça-feira (9/7). Em noites mais quentes, o número de atendimento é de 350 pessoas por noite, em média.

Caso veja pessoas dormindo nas ruas, a população pode ligar para a Central 156, que as equipes da Fundação de Ação Social (FAS) vão até o local. Nos abrigos municipais, elas encontram lugar para tomar banho quente, vestir roupas limpas e se alimentar no jantar e no café da manhã, além de cama e cobertor.

Balanço

Dos atendidos desta noite, 392 procuraram abrigo de forma espontânea e os 67 restantes foram encaminhados por equipes da FAS, que percorrem toda a cidade em busca de pessoas em situação de rua para oferecer atendimento.

Por causa do frio, o trabalho é intensificado das 18h às 23h, sempre que a temperatura atinge 9 graus ou menos. A mesma medida será adotada até esta quarta-feira (10/7).

Das 18h às 23h, as equipes fizeram 162 abordagens sociais em toda a cidade, sendo que 154 delas foram solicitadas por meio da Central 156. Em 68 casos, os educadores sociais foram até o local informado pela população, mas não havia ninguém no endereço indicado.

Apesar do frio, 94 pessoas recusaram atendimento, mesmo com os educadores sociais alertando para o risco de dormir desprotegidos. Diferentemente do fim de semana, quando nove pessoas foram encontradas pela FAS com risco de hipotermia e debilitadas, o que exigiu o encaminhamento para unidades de saúde, nesta noite ninguém precisou de serviços médicos.

Duas pessoas foram abrigadas em unidades onde é possível levar cães de estimação e uma decidiu deixar as ruas e voltar para a família.