Um professor encontra um rapaz que diz ter sido aluno dele.
O jovem pergunta: – Lembra de mim? E ele diz que não.
O jovem conta que foi aluno dele.
E ele pergunta: o que anda fazendo?
Sou professor.
Ah que legal. Como eu?
Sim. Virei professor porque você me inspirou.
Ele pergunta para o jovem qual foi o momento em que ele o inspirou a ser professor. E aí o aluno conta a história:
“Um dia um amigo meu, estudante também, chegou com um relógio novo, lindo, e eu decidi que queria pra mim e roubei, peguei do bolso dele. Este meu amigo percebeu o roubo e reclamou com você (professor). Você disse: o relógio do colega de vocês foi roubado, quem roubou devolva. Nao devolvi porque não queria. Você trancou a porta, falou pra todo mundo ficar em pé que você passaria de um por um para revistar os bolsos de todos até achar o relógio. Mas você falou pra todos fecharem os olhos que você faria isso com os alunos de olhos fechados…
 … todos fecharam os olhos e você foi indo de bolso em bolso e quando chegou no meu encontrou o relógio e pegou. Continuou revistando todos e aí quando terminou disse: podem abrir os olhos. Já temos o relógio.
Você não me disse nada. Não mencionou o episódio nunca. Não falou quem tinha roubado pra ninguém. E naquele dia você salvou a minha dignidade para sempre
Foi o dia mais vergonhoso da minha vida. Mas o dia em que minha dignidade foi salva de eu não ter me tornado um ladrao, uma má pessoa etc…
Você nunca falou nada. Não me deu lição de moral. E eu entendi a mensagem
E entendi que é isso que um verdadeiro educador deve fazer.
Você não lembra disso professor?
E o professor responde: – Eu lembro da situação, do relógio roubado, de eu ter revistado todos etc…
Mas não lembrava de você. Porque eu também fechei meus olhos ao revistar.
(Autor Desconhecido)