O Brasil e outros países da América Latina com alta incidência da COVID-19 serão os primeiros a receber a droga antiviral Avifavir, afirmou neste sábado (11) o CEO do Fundo Direto de Investimento Russo (RDIF), Kirill Dmitriev.

“A videoconferência de hoje com mais de 1.500 representantes da América Latina confirmou o alto nível de interesse estrangeiro na Avifavir”, afirmou Dmitriev através de um release após uma apresentação virtual da Avifavir a representantes latino-americanos e caribenhos.

Medicamento russo Avifavir em um depósito de Moscou
© REUTERS / HANDOUT
Medicamento russo Avifavir em um depósito de Moscou

O executivo também afirmou durante uma entrevista que sua organização já recebeu pedidos da droga vindos de mais de 50 países.

“Nossa prioridade são esses países onde o número de infecções pelo novo coronavírus está aumentando rapidamente”, acrescentou Dimitriev.

A Avifavir é a primeira droga russa contra a COVID-19 e foi aprovada pelo Ministério da Saúde da Rússia no final de maio. Apesar de seguir sob observação em diversos países, a droga provou eficácia em 90% dos casos em testes locais.

Mais cedo nesta semana, o Ministério da Indústria e Comércio da Rússia recebeu pedidos de compra da Avifavir de países de diversas regiões do mundo, incluindo a Europa, América Latina e também da região sudeste da Ásia.

Alguns dos países com mais casos registrados do novo coronavírus ficam na América Latina, como Brasil, Peru, Chile e México. O Brasil é o caso mais grave, com cerca de 1,8 milhão de casos confirmados da doença e mais de 70 mil mortes causadas pela COVID-19. O país está atrás apenas dos Estados Unidos em número de casos e mortes, conforme os dados da Universidade Johns Hopkins.

Sputnik Brasil