POR: REQUIÃO FILHO

 

Sempre procurei conversar bastante com vocês as questões do Estado através de minhas redes sociais e, às vezes, quando o tema me parece bastante contundente, me atrevo a publicar um artigo, como este agora.

 

Algumas coisas estão me angustiando bastante quando começo a analisar os caminhos que estão sendo seguidos pela administração paranaense. Discursos, fotos e propagandas não faltam, mas sinto um governo frio, que não se preocupa com o que de fato importa, o povo paranaense. Durante 30 dias ele passou fora do país.

 

Enquanto isso, batemos o recorde no número de pessoas que vivem em extrema pobreza. Pagamos altas tarifas de água e luz, encarecemos o custo de vida e condenamos milhares de paranaenses e viverem de forma precária. Aumentos sucessivos aplicados pela Sanepar sangram o bolso dos paranaenses, do comércio, da indústria e refletem na falta de empregos e redução de direitos, afetando diretamente o trabalhador e o empresariado do Estado.

 

As estradas pedagiadas serão ampliadas, ou melhor, praticamente o Paraná inteiro será taxado e vocês, além de todos os problemas que já enfrentam, para se deslocarem nas rodovias que cortam o Estado terão que arcar com o custo do pedágio.

 

Em busca da famigerada economia, o Estado rompeu com o servidor público, lhe retirou direitos e o expôs à sociedade. As estatais paranaenses, motivo de tanto orgulho no passado, hoje vivem amedrontadas pelo fantasma da privatização. Em um discurso de busca do estado mínimo direitos e garantias são pisoteados e o Paraná sucateado.

 

A educação em frangalhos, professores doentes e abandono escolar. Policiais também estão doentes, há uma série de denúncias de assédio e… onde está o Governador para se posicionar?

 

Enquanto isso, já gastaram milhões de reais em propaganda, numa conta aproximada de 90 mil reais por dia, sendo que 1,4 milhão de reais já foram repassados apenas para as empresas de sua família.

 

O governo assinou um contrato para manutenção da frota de veículos do Estado a um valor mais caro que o da empresa anterior. Sem contar que muitos de seus projetos grandiosos, são anunciados e depois recuados, retirados, por falta de embasamento técnico. Ou seja, demonstra despreparo e irresponsabilidade para governar nosso Paraná. Era esse o governador que você queria?

 

Poderíamos até tentar dar um crédito para o atual governo, que alega manter as contas em dia, mas, ao olhar bem de perto, escolheu o paranaense para pagar a conta.

Batendo recordes negativos o Governo Ratinho Júnior deve encerrar seu 1º ano de mandato. Para o paranaense o futuro não parece promissor.

 

O Paraná merece mais, vocês merecem mais.