Evento de recepção aos membros executivos dos países do BRICs no Memorial de Curitiba. Na imagem (esq. p/ dir.) Embaixador Norberto Moretti, Professor Anil Sooklal – Sherpa da África do Sul no BRICS, Embaixador Sergey Pogóssovitch Akopov (Rússia), Zhang Jun – Sherpa da China no BRICS, vice Governador Darci Piana, ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, Prefeito de Curitiba Rafael Greca, Ntshikiwane Joseph Mashimbye – Embaixador da África do Sul no Brasil, Primeira Dama Margarita Samsone, Embaixador Ashok Das (Índia) e vice Prefeito Eduardo Pimentel – Foto: Daniel Castellano / SMCS

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, enfatizou a escolha de Curitiba para sediar a 1ª Reunião do Grupo BRICS 2019 durante a abertura oficial do encontro nesta quarta-feira à noite (14/03), no centro histórico da capital.

“O perfil inovador de Curitiba é um dos pilares do BRICS. Curitiba tem oferecido ao Brasil medidas de transporte urbano e planejamento”, destacou ele. “É a cidade mais inovadora do país.”

Ao lado do prefeito Rafael Greca e da primeira-dama Margarita Sansone, o chanceler brasileiro recebeu no Memorial de Curitiba as delegações de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Nesta quinta e sexta-feira (14 e 15/03) os cerca de 55 representantes diplomáticos participam das reuniões de trabalho do grupo, no Salão de Eventos do Parque Barigui.

“Com alegria, a mais inovadora das cidades do Brasil recebe os membros da reunião”, disse o prefeito.

O encontro é preparatório para XI Cúpula, que terá a presença dos presidentes dos países-membro, no mês de novembro, em Brasília. O Brasil exerce, em 2019, a presidência de turno do BRICS.

O vice-governador do Paraná, Darci Piana, representou o governador Carlos Massa Ratinho Júnior. Tambpem participou da cerimônia o vice-prefeito Eduardo Pimentel, entre várias outras autoridades.

Inovadora
O chanceler citou como exemplos do pioneirismo curitibano o sistema de transporte conhecido como BRT (Bus Rapid Transit), utilizado em várias cidades há décadas, e também o Worktiba, primeiro coworking público municipal instalado nas capitais.

“Por ser inovadora, não havia cidade mais apropriada para este evento. Também pela diversidade de culturas de Curitiba e do Paraná, razões que são motivo de orgulho para todo o Brasil”, destacou Araújo.

Agradecendo à “maravilhosa recepção de Curitiba”, Araújo disse que “o Itamaraty é muito grato à generosidade da Prefeitura”.

 

Leia mais

 

O chanceler lembrou que o BRICS congrega cinco países com dimensões continentais, caracterizadas por serem nações orgulhosas de si mesmas. “Nós podemos cooperar a partir das nossas identidades”, declarou.

Anfitrião

Em seu discurso, o prefeito Rafael Greca enfatizou que o BRT foi exportado para 250 países, num exemplo da extensão dos resultados da inovação historicamente aplicada por Curitiba.

Greca observou que os cinco países que integram o BRICS são diferentes entre si. “Tão diferentes, mas animados pelo mesmo espírito de humanismo e de cooperação”, completou, ao citar declarações de ícones das cinco culturas representadas pelo BRICS: o embaixador brasileiro Joaquim Nabuco, o escritor russo Leon Tolstói, o patriarca chinês Confúncio, o líder sul-africano Nelson Mandela e os livros dos Vedas, inspiração indiana.

“Cinco tradições culturais tão diversas convergem no espírito de harmonia. Os BRICS vieram para criar um mundo novo, a convivência de todo o mundo, a convergência e a abrangência global, capaz de tecer a paz, promover o comércio e valorizar a humanidade. É uma honra recebê-los nesse prédio que é o memorial da nossa História”, disse o prefeito em seu discurso.

Oportunidades
Em entrevista aos jornalistas, Greca destacou a oportunidade que a reunião representa para Curitiba e para o Paraná. “Estou muito honrado em poder oferecer para o Brasil esta recepção para representantes da metade da população mundial, de um quarto do território do planeta Terra e de metade do mercado mundial econômico. E muito honrado com a distinção que o Itamaraty nos fez. Vamos oferecer a eles um leque de opções para que possam investir em Curitiba e no estado. Eles certamente vão perceber o charme de Curitiba”, afirmou.

Governos
O vice-governador Darci Piana destacou a importância de Curitiba por sua beleza e qualidade de vida. “Somos o estado que mais produz alimentos por metro quadrado no mundo. E temos um relacionamento com todos os países do BRICS. Estamos abertos para podermos ampliar este relacionamento”, afirmou.

“Temos grande alegria em começar a presidência em Curitiba porque inovação é uma das ideias força da presidência brasileira e vamos começar numa cidade que representa inovação, harmonia, convivência, integração”, disse o embaixador Norberto Moretti, representante do Brasil no grupo do BRICS.

Moretti destacou que uma das prioridades do Brasil no BRICS é a inovação, ciência e tecnologia. “E Curitiba é um símbolo da inovação em vários aspectos, econômicos e em planejamento urbano. É também um símbolo de união de povos distintos. A história do Paraná é construída numa base multietnica, de convivência, de harmonia, de integração. É disso que o BRICS também trata”, defendeu.

Sherpas
O embaixador explicou que a reunião em Curitiba é feita numa instância chamada de sherpas, os encarregados de alto nível do BRICS nas respectivas chancelarias. Eles coordenam o trabalho e estabelecem as prioridades do que será abordado na cúpula de presidentes.

Sherpa também é o termo que designa os indianos e nepalenses que auxiliam os alpinistas na região do Himalaia.

Temas
No encontro em Curitiba serão discutidas as prioridades para o ano em que o Brasil preside o grupo. A presidência, que é rotativa, propõe prioridades e coordena as cerca de 100 reuniões anuais, inclusive em nível ministerial, dos diversos foros e grupos de trabalho que debatem e propõem iniciativas conjuntas em ampla gama de temas econômico-comerciais, financeiros, científico-tecnológicos, culturais, de saúde, de segurança, sociais e de gestão.

 

Presenças
Participaram da cerimônia no Memorial de Curitiba, além do ministro das Relações Exteriores do Brasil, embaixador Ernesto Araújo, e do embaixador Norberto Moretti, sherpa do Brasil no BRICS, o ministro Leonardo Gorgulho, sub-sherpa do Brasil no grupo, o sherpa da Rússia, Pavel Knyazev, o sherpa da Índia, T.S. Tirumurti, o sub-sherpa da Índia, Suresh K. Reddy, o sherpa da China, Zhang Jun, o sub-sherpa da China, Huang Yiyang, o sherpa da África do Sul, Anil Sooklal, o sub-sherpa da África do Sul, Dave Malcomson. Estiveram presentes ainda os embaixadores da Rússia no Brasil, Sergey Pogóssovitch Akopov, da Índia, Ashok Das, da China, Yang Wanming, e da África do Sul, Ntshikiwane Joseph Mashimbye.

Também participaram da cerimônia de abertura os secretários da Defesa Social, Guilherme Rangel, da Educação, Maria Sílvia Bacila, do Esporte, Lazer e Juventude, Emílio Antonio Trautwein, de Planejamento,  Administração e Recursos Humanos, Alexandre Jarschel de Oliveira, de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues, o assessor de Relações Internacionais, Rodolpho Zannin Feijó, as presidentes da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, da Agência Curitiba de Desenvolvimento, Ana Cristina Martins Alessi, do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), Dora Pizzatto, do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Matschinske, do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra, a procuradora-geral do município, Vanessa Volpi, as assessoras do prefeito, Monica Guimaraes Santanna, Cynthia Juraszek Maia Batista, o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Sabino Picolo, e o vereador Sergio Balaguer (Serginho do Posto).