santa-candida

abrigo-virtual

Edição Digital - JUNHO 2016
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

Edição - JULHO 2016
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

Banner
Banner

Pesquisa

Do que nosso bairro mais precisa?
 

twitter-sigaface-siga

siga-nos

AGORA ONLINE

Nós temos 45 visitantes online

Visitas

Visualizações de Conteúdo : 2449434
Rafael Greca continua liderando em Curitiba, revela nova pesquisa do Ibope PDF Imprimir E-mail
Escrito por Redação com agências   
Qua, 24 de Agosto de 2016 08:26

pesquisa 1

O ex-prefeito e ex-ministro Rafael Greca (PMN) continua liderando a preferência dos eleitores para a Prefeitura de Curitiba, segundo a mais recente pesquisa realizada pelo Ibope.

A Rede Massa divulgou a primeira pesquisa do Ibope sobre a corrida pela Prefeitura de Curitiba. A disputa está tecnicamente empatada dentro da margem de erro de 3%, entre os três primeiros colocados, segundo a sondagem realizada entre os dias 2 e 5 de julho.

Rafael Greca (PMN) tem 21%, seguido por Gustavo Fruet (PDT), com 18%, e Requião Filho (PMDB), que tem 16%. Ney Leprevost (PSD), tem 5%. Maria Victória (PP), Luciano Pizzatto (DEM) e Tadeu Veneri (PT) tem, cada um, 3%.

O Ibope entrevistou 805 eleitores.

QUATRO CANDIDATOS MILIONÁRIOS

A relação dos candidatos à Prefeitura de Curitiba revela candidatos milionários. O mais rico é o empresário Ademar Pereira (Pros), que declarou uma lista de bens que somam R$ 4,1 milhões, entre cotas de suas empresas (Escola Atuação e Espaço Torres), terrenos e aplicações financeiras, além de uma BMW no valor de R$ 76 mil. O atual prefeito, Gustavo Fruet (PDT) é o segundo entre os milionários - ao TSE, declarou possuir um patrimônio no valor de R$ 2,9 milhões, distribuídos em imóveis e aplicações financeiras.

O deputado estadual Requião Filho (PMDB) é o terceiro com maior patrimônio. No total, o candidato dispõe de R$ 1,9 milhão, divididos entre salas comerciais, uma casa, dois carros e investimentos. O pró-reitor da Universidade Tuiuti, Afonso Rangel (PRP), fecha a lista dos milionários, com um patrimônio estimado em R$ 1,2 milhão, entre cotas de empresas e imóveis.

 

 

 
Richa recebe o embaixador da Rússia para intensificar parcerias comerciais PDF Imprimir E-mail
Escrito por Agencia de Notícias do Paraná   
Ter, 23 de Agosto de 2016 10:28

embaixador russia 1

O governador Beto Richa recebeu nesta segunda-feira (22), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, o embaixador da Federação da Rússia no Brasil, Sergey Akopov, e discutiu o estreitamento das relações comerciais do Paraná com o país europeu. Desde o início do governo, em 2011, Richa tem trabalhado para o fortalecimento comercial com a Rússia e fez duas missões internacionais ao País, em 2013 e 2015.

Entre 2014 e 2015, os negócios entre o Paraná e a Rússia somaram R$ 6,4 bilhões, o que deve se intensificar neste ano. “Em nossas visitas à Rússia, apresentamos os interesses do Paraná. Muitas de nossas reivindicações foram acolhidas e interesses mútuos estão sendo encaminhados para que possamos estreitar nossas relações comerciais”, explicou o governador.

Richa destacou que o Paraná vive hoje um momento diferenciado no cenário nacional e assumiu, no ano passado, a inédita posição de quarta maior economia do Brasil. “Nosso trabalho hoje é para abrir novas fronteiras ao Paraná, que de acordo com o Financial Times, é o Estado com a melhor estratégia de atração de investimentos da América do Sul”, afirmou o governador. 

Um dos resultados das missões internacionais foi o retorno da exportação da carne paranaense à Rússia em 2014, depois de nove anos de embargo. “Hoje temos dois frigoríficos exportando carne para a Rússia, que é um importante mercado internacional. Outros frigoríficos estão em fase de habilitação para iniciar as exportações”, explicou Richa.

NEGÓCIOS – Em 2014 e 2015, os negócios entre o Paraná e a Rússia somaram R$ 6,4 bilhões, o que deve se intensificar neste ano. As exportações do Estado para a Rússia se concentram em alimentos e produtos agrícolas. A Rússia, por sua vez, vende produtos químicos para o Paraná.

embaixador russia 2


Em sua última missão ao país europeu, Richa tratou da exportação de gás natural russo, por meio da empresa Gazprom, que é a maior empresa da Rússia e a maior exportadora de gás natural do mundo. Também foi fechada parceria para a instalação de uma fábrica de peças de aviões e um centro de operações da empresa aérea russa Irkut em Maringá, no Noroeste do Estado, para atender o Brasil e a América Latina.

Para o embaixador russo, a tendência é intensificar essa parceria, principalmente com a instalação, nesta segunda-feira, do Consulado Honorário da Rússia em Curitiba e da Câmara de Comércio e Indústria Paraná-Rússia. “Vemos com otimismo todos esses contatos que estamos fazendo. Esses acontecimentos vão dar mais oportunidade de ampliar os negócios entre os nossos países, em especial com o Estado do Paraná”, afirmou Akopov. 

“É o caminho certo para abrir cada vez mais os nossos mercados, criar novas possibilidades e novos projetos. Pretendemos passar de um simples comércio a uma cooperação mais profunda, que levaria a formação de uma aliança tecnológica entre o Brasil e a Rússia”, ressaltou o embaixador.

Consulado da Rússia em Curitiba vai fortalecer parcerias com o Paraná


Também nesta segunda-feira (22), o embaixador da Federação Russa no Brasil, Sergey Akopov, entregou, em cerimônia no Palácio Iguaçu, as credenciais para o primeiro cônsul-honorário da Rússia em Curitiba, Acef Said, atual presidente do Instituto Tecnológico e Ambiental do Paraná (Itapar). 

“Com a instalação deste consulado honorário, temos a certeza de que todos interesses comuns entre o Paraná e Rússia terão um encaminhamento mais célere e vai abrir novos horizontes dos produtos do Estado do Paraná”, afirmou o governador Beto Richa.

A instalação do consulado na capital paranaense vai ajudar no fortalecimento das relações comerciais e institucionais do Estado com aquele país. Também será instalada em Curitiba a Câmara de Comércio e Indústria Paraná-Rússia. A oficialização da câmara acontece na noite desta segunda-feira, na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). 

“O Paraná é um grande parceiro da Federação Russa. A instalação do consulado e da câmara de comércio objetiva, principalmente, incrementar essas relações, não só as comerciais como também cultural, na área científica e em projetos e parcerias tecnológicas”, explicou o cônsul-honorário. 

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o secretário especial para Assuntos Estratégicos, Flávio Arns; os presidentes da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Netto; da Copel, Luiz Fernando Leone Vianna; da Compagas, Fernando Ghignone; da Junta Comercial do Paraná, Ardisson Akel; da Comec, Omar Akel; o cônsul da Federação Russa em São Paulo, Yuriy Mozgovoy; o presidente do Corpo Consular do Paraná, Thomas Amaral Neves; o deputado federal Luiz Carlos Hauly e os deputados estaduais Reinhold Stephanes e Guto Sil

 

 
Ney Leprevost: "Vou fazer a integração do transporte coletivo" se eleito. PDF Imprimir E-mail
Escrito por Pierpaolo   
Ter, 23 de Agosto de 2016 09:18

ney 1

Nosso entrevistado de hoje é Ney Leprevost PSD), deputado estadual e candidato a prefeito de Curitiba. Ney iniciou sua carreira aos 13 anos de idade como comentarista esportivo.  Sempre muito comunicador e proativo, teve contato direto com a comunidade e aos 22 anos foi eleito para o seu 1º mandato na Câmara Municipal de Curitiba, sendo nesta época o vereador mais jovem desta cidade. Pela atuação de destaque, especialmente na área social e de esporte, três anos depois foi convidado a assumir a Secretaria de Estado do Esporte e Turismo, tornando-se o Secretário mais jovem do Brasil.

Em 2000 e 2004 reelegeu-se como vereador na Câmara Municipal de Curitiba trazendo novas ideias e importantes projetos para a capital paranaense. No ano de 2006 se candidatou a deputado estadual do Paraná e elegeu-se 53.471 votos, sendo o deputado estadual mais votado entre os que tentaram pela primeira vez o cargo.

Em 2010 foi reeleito deputado estadual sendo o mais votado de Curitiba, com cerca de 80 mil votos. Desde então, Ney tem feito muito pela história do Paraná apresentando projetos de relevância social e política.

Quais os motivos que o levaram a se candidatar a prefeito de Curitiba?

Ney - Tenho um profundo amor por esta cidade.  Nasci, cresci e me criei em Curitiba. Estudei em escola pública e crio meu filho Pedro, de cinco anos em Curitiba. Fui o vereador mais votado e, graças aos curitibanos, também o deputado estadual mais votado. Quero retribuir tudo o que Curitiba fez por mim.

Esta candidatura pertence aos curitibanos, aqueles que querem ver o bem da cidade. Vou trabalhar com honestidade, dedicação, seriedade e competência para fazer com que Curitiba entre no caminho da inovação com solidariedade, da modernidade com respeito meio ambiente, do desenvolvimento com justiça social para que os serviços públicos municipais sejam melhores e as pessoas possam ter uma vida mais feliz.

Curitiba está sendo bem administrada atualmente?

Ney - Respeito o parlamentar Gustavo Fruet.  Mas como prefeito ele está sendo muito ineficiente. A cidade está parada, mal cuidada e a população insatisfeita com esta gestão.

Quais suas propostas para melhorar a nossa cidade?

Ney - Nos primeiros trinta dias de gestão vou fazer a integração do transporte coletivo com a Região Metropolitana de Curitiba e, em três meses o preço da passagem vai abaixar, além de voltar a tarifa domingueira para que a pessoas possam passear e visitar seus parentes.

Nossa proposta é a eficiência da gestão. A solução de problemas para melhorar a qualidade de vida do curitibano. É o respeito à cidade. Por isso, para ajudar a governar Curitiba, terei os melhores técnicos, pessoas preparadas que amam essa terra e que, com certeza, tem muito amor para trabalhar com capricho, dedicação e, acima de tudo, promover uma gestão solidária, eficiente e que garanta serviços de boa qualidade para as pessoas.

A área da saúde será a maior prioridade. Vamos utilizar a tecnologia em favor do usuário da rede pública de saúde, implantando a marcação de consulta online para evitar que o cidadão, que já está doente, precise entrar em uma fila às seis horas da manhã para conseguir agendar uma consulta. Será extinto o modelo “cubanizado”, que obrigou a todos os médicos das unidades de saúde ser generalistas, em detrimento dos especialistas.

O servidor público será valorizado. Vamos acabar com o cabide de emprego e diminuir os cargos em comissão que na grande maioria são ocupados por apadrinhados políticos. Os professores municipais terão sua autoestima resgatada, com a oferta de treinamento, remuneração digna e o respeito do Prefeito e do secretário de educação aos nossos mestres.

Novos Guardas Municipais serão contratados, com base no último concurso já realizado e, para propiciar mais segurança ao cidadão vamos implantar os programas “Terminais 100% seguros” e “Craque contra o crack”, entre outros.

 

 
Câmara segura “10 medidas contra a corrupção” PDF Imprimir E-mail
Escrito por Congresso em Foco   
Seg, 22 de Agosto de 2016 09:13

corrupção 2

Com 2 milhões de assinaturas, projeto idealizado pelo Ministério Público Federal não saiu da gaveta três meses após ter sido entregue à Câmara

Mais de três meses após a entrega do pacote das “10 medidas contra a corrupção”, campanha encabeçada pelo Ministério Público Federal que reuniu 2 milhões de assinaturas, a Câmara ainda não instalou a comissão especial destinada a examinar a proposta. Nem o presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nem o ex-presidente Waldir Maranhão (PP-MA), e nem o atual presidente Rodrigo Maia (DEM) deram andamento à análise do Projeto de Lei 4850/2016, que reúne 20 propostas de mudança legislativa distribuídas em dez eixos principais. Entre outras alterações, o texto prevê penas mais rígidas para crime de corrupção, dificulta a anulação de processos e facilita a recuperação de recursos desviados.

Coordenador da Frente Parlamentar Mista contra a Corrupção, o deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PV-SP) disse ao Congresso em Foco que há um jogo de empurra em relação à proposta. Por estar na coordenação da frente, Thame encampou a autoria do pacote para que as medidas andassem com maior celeridade na Casa.

Para Mendes Thame,  só a pressão popular é capaz de obrigar o Congresso, dominado por parlamentares acusados de crimes, a aprovar as medidas anticorrupção.

“Se montar essa comissão, o resto a gente tira de letra, porque a pressão da sociedade organizada vai ser tamanha que vai conseguir fazer andar [o trabalho da comissão]”, considera.

Se a comissão especial não for instalada, o PL 4850 terá de tramitar por cinco comissões permanentes, o que retardará a análise da proposta e sua votação em plenário. O projeto chegou à Câmara em 29 de março aos gritos de “Não é para enrolar, é para aprovar!”, proferido por representantes de organizações da sociedade civil que cobraram celeridade por parte dos políticos presentes.

Compra de Votos e Ficha Limpa

A campanha foi iniciada por integrantes da força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba, mas ganhou apoio da Procuradoria-Geral da República. A estratégia é repetir o procedimento adotado na Lei da Ficha Limpa e na Lei da Compra de Votos, também de iniciativa popular, ambas coordenadas pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Em todo o país, mais de cem procuradores do Ministério Público Federal aderiram à campanha e passaram a fazer palestras para divulgá-la nos estados. O objetivo dos procuradores é que os projetos comecem a tramitar na Comissão de Legislação Participativa da Câmara.

Mais rigor

Entre outras mudanças, o pacote estabelece mudança no sistema de recursos do processo penal, permitindo o cumprimento das penas antes de recursos ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal. De acordo com uma das propostas, a pena mínima para corrupção será dobrada, de dois para quatro anos de reclusão, o que torna obrigatório o início do cumprimento das sentenças ao menos em regime semiaberto.

Se o prejuízo causado for superior a cem salários mínimos (hoje R$ 88.000), o crime se torna hediondo. O enriquecimento ilícito de agente público também será passível de punição, de três a oito anos de prisão, mesmo que não seja comprovado o crime de corrupção.

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 506

jav-separador

         twitter-siga-footerface-footer
Copyright © 2010-2013 Jornal Água Verde. Todos os direitos reservados.
Abrigo Virtual